Onde é seu lar?

Quando alguém te pergunta “Da onde você é?”, o que você responde? Pergunta tão simples, que já ouvimos milhares de vezes durante nossa vida, mas que tem uma resposta muito mais complexa do que podemos imaginar. Seu lar é o lugar que você nasceu e foi educado? É onde você paga seus impostos? Onde você visita seus médicos e seu dentista? Ou é aquele lugar que te toca profundamente, onde você tenta passar o maior tempo possível?

Para algumas pessoas essa resposta pode não ser tão complicado quanto parece. Elas podem ter vivido sua vida inteira em um mesmo lugar e encontrar ali o seu sentido de lar, seu senso de comunidade. E não há nada de errado nisso. Mas para outras pessoas, uma maioria que só vem crescendo, essa pergunta “Da onde você é?” se torna cada vez mais limitante, e a resposta, cada vez mais difícil de ser encontrada.

Somos diariamente influenciados por diversos fatores que nos fazem questionar onde realmente é nosso lar. Por todos os lugares que já passamos e todas as pessoas que já conhecemos são parte fundamental da resposta. As vezes nos identificamos muito mais com pessoas de outras culturas, costumes e tradições de outros países do que com o nosso país de origem. Nos sentimos mais confortáveis em ambientes nos quais temos menos em comum do que com o ambiente em que nascemos. Ao longo de nossa vida vemos, entramos em contato e adquirimos tantos fatores que nos constroem como pessoas, mas que nos afastam cada vez mais de uma definição exata. Cada cantinho do mundo passa a fazer parte de nós, e seriamos capazes de nos sentir tão em casa ali quanto nas nossas próprias casas.

O nosso lar hoje é um trabalho em progresso. Podemos ter um lar com nossos pais, um lar associado com nosso parceiro, outro associado ao lugar em que estamos e outro onde sonhamos estar. E assim, nosso lar passa a ser muito menos sobre uma parte de terra mas muito mais sobre uma parte de nossas almas. E cada vez mais será mais importante o para onde estamos indo do que de onde viemos.

Sou brasileira, mas falo inglês melhor que o português. Moro em uma grande cidade, mas sinto falta da calmaria lá da cidadezinha do interior que nasci. Apaixonada por futebol e caipirinha, mas que não gosta de calor, carnaval, feijoada e samba, e não perde a oportunidade de comer comida japonesa ou árabe. Me identifico mais com o cumprimento de aperto de mão tradicional europeu do que nossos tradicionais beijinhos no rosto, mas não dispenso o abraço de pessoas queridas. E não consigo apontar o nome de rua que eu considero meu lar. Não é o lugar que vou dormir todos os dias, estou ali fisicamente, mas meu coração repousa em outro, e meus sonhos são permeados por outro ainda.

Não tenho a intenção de encontrar esta definição. Tenho a intenção de torná-lo cada vez difícil de ser achado, trazendo mais de todos os lugares do mundo para dentro de mim. E se o seu lar é o local em que você se torna você mesmo, farei do mundo o meu lar.

E você, “Da onde você é?”

Esse post foi baseado no incrível Ted Talk “Where is home?” de Pico Iyer. Você pode assistí-lo clicando aqui.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s